Se eu fizer a diferença na vida de uma pessoa, já tenho meu objetivo alcançado.

Posts marcados ‘Sucesso’

DEFINIÇÕES

definições“Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta
um capítulo.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.

Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não… Amor é um exagero… também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,
Esse negócio de amor, não sei explicar.”

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida…

CaixãoFaleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida… 

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:

“Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes”.

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

– Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
– Ainda bem que esse infeliz morreu !

Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.

A pergunta ecoava na mente de todos: “Quem está nesse caixão”?

No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo… Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. “SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA… QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA.”

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando “você muda”.

Luis Fernando Veríssimo

 

RESGATE A SUA ALEGRIA

Você já percebeu que muito se fala em sentimentos negativos como raiva, ódio, tristeza, dor, culpa, mas pouco se dedica às emoções positivas e gostosas como a alegria?
Afinal, nossa própria cultura supervaloriza o sofrer e até nos faz sentir culpados quando estamos em estado de graça, fazendo-nos esquecer que também podemos ser alegres e felizes.
Quem nunca ouviu aquele ditado: “quem ri muito, acaba chorando”?
Dizem que só crescemos e mudamos na dor e no sofrimento.
Por que não o oposto?
Infelizmente, as pessoas tendem a se acomodar quando tudo está bem.
Mas é possível mudar através da alegria e da exaltação, pois a essência para qualquer mudança é entrarmos em contato com nossos verdadeiros sentimentos e isso pode ser através do sofrimento ou da alegria.
Mas, como estão seus sentimentos internos, suas emoções?
Tente perceber como está se sentindo neste momento…
Qual é o seu estado de espírito?
Eu sei, temos tantos problemas, mas será que você não pode olhar um a um sob outra ótica? Sempre podemos tirar uma lição de tudo que nos acontece, depende como encaramos os fatos. Procure se lembrar de algum momento que te trouxe alegria, paz no coração…
Como você se sentiu?
A emoção da alegria nos aquece, como se um calor vindo do plexo solar irradiasse para todo o corpo, os gestos ficam mais leves, os músculos tendem a relaxar, muitos têm o desejo de cantar, outros de gritar, outros preferem o silêncio.
A alegria em geral sugere a proximidade com outras pessoas.
A auto-imagem que expressamos quando alegres demonstra autoconfiança, nos sentimos importantes.
Além do que, ficamos muito mais bonitos.
Quando alegres ficamos muito mais iluminados, mais generosos, pacientes, solidários.
Porém também ficamos mais manipuláveis, pois estamos mais abertos e flexíveis.
Contudo, existe uma parte sombria na alegria.
Já reparou que muitas vezes estragaram sua alegria?
Quantas vezes você foi contar que estava alegre e o outro como resposta começa a falar da última tragédia que lhe aconteceu, como se sentisse uma inveja oculta da sua alegria?
Com certeza sua bolha de alegria se estourou no ar.
Às vezes convivemos com pessoas muito críticas, destrutivas, amarguradas e que inconscientemente não conseguem ver ninguém feliz e machucam, magoam e maltratam quem está ao seu lado, tornando difícil encontrar bem-estar e paz interior perto delas.
São pessoas que parecem sentir prazer em destruir a alegria alheia, pois elas mesmas sentem-se incapazes de nutrir tal sentimento.
Relacionar-se com pessoas assim, torna difícil sentir-se livre para rir.
Aos poucos passamos a ter vergonha do que sentimos, controlamos nossas emoções e inconscientemente, reprimimos o que sentimos, em especial, a alegria.
A parte sombria da alegria nos faz muitas vezes sentir culpados, enquanto a alegria saudável nos faz criativos e exaltados.
Ao sentirmo-nos alegres, ficamos mais inspirados a imaginar e criar.
O que pode levar a encontrar outros caminhos quando surge uma dificuldade.
Mesmo em situações de dor, procure buscar uma gota de esperança.
Deixe que a esperança de algo melhor esteja sempre presente. Acreditar que você pode sentir alegria é a própria esperança.
E ir no caminho desta busca é a própria alegria. Temos muitas fontes de alegria, mas quando você sente-se alegre?
Pode ser quando há uma deliciosa sensação de paz, liberdade, quando está amando, bem-humorado, satisfeito ou em outros momentos.
Os motivos podem variar conforme o grau de amor-próprio e satisfação interna.
Quanto mais gostamos de nós mesmos, mais motivados ficamos a encontrar satisfação no que fazemos.
O que está impedindo você de estar bem?
Por que você permite que uma situação que o faz infeliz se mantenha?
É importante buscar essas respostas.
Muitos ainda não permitem sentir alegria, como se não fossem merecedores ou, sentindo-se assim, pudessem ferir outras pessoas.
O caminho para a alegria é sempre a harmonia interior.
Ela é fruto da criação individual. Como diz um trecho da música Harmonia de Sá e Guarabyra: “…Harmonia é ver o sol nascer com o brilho da lua ainda lá.
Harmonia é a rua e é você é a luz do escuro no olhar.
Que desejo tão fácil de se ter, que presente difícil de ganhar, mas é sina do homem procurar harmonia…
” Mas quando e como fazer para sentirmo-nos alegres?
Pare um pouco e pense em um momento alegre de sua vida.
recordar um momento que lhe foi especial. Feche os olhos e lembre-se de um desses momentos… Traga este sentimento de prazer para dentro de você e para o momento presente.
Com este pequeno exercício podemos perceber que podemos entrar em contato com a alegria também pela imaginação e podemos principalmente, resgatar a alegria perdida.
Procure as fontes de alegria em sua vida, faça um pouco mais o que gosta.
Aprenda a reconhecer e agradecer os presentes sem valor material que ganha, a valorizar “os pequenos grandes momentos”, como um abraço ou um beijo carinhoso que recebeu.
Celebre acima de tudo a dádiva da vida, do céu azul, da natureza que está aí para você, aprenda a saborear cada momento como se fosse único.
Coloque um sorriso no rosto e pratique a terapia do riso, da alegria sempre que puder.
Se prestar atenção em seu rosto neste momento, poderá perceber que seus olhos estão mais brilhantes e você deve estar com um leve sorriso no rosto.
Não, não o tire, contagie as pessoas que estão ao seu lado com sua alegria e seu prazer de viver!

Fonte:  http://refletiresentir.blogspot.com.br

É PROIBIDO

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.

É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.

É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.

É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.

É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.

É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.

É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.

É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.

É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

A zona de conforto, um lugar ou um estado de espírito?

A zona de conforto, um lugar ou um estado de espírito?

Um grande limitador do progresso pode ser nosso medo do desconhecido. Algumas pessoas demonstram grande medo do que não conhecem, quando são desafiadas a sair de sua zona de conforto.

Uma das definições da zona de conforto, é que ela pode ser identificada por comportamentos ou ações a que uma pessoa se acostumou e que de alguma maneira lhe transmite segurança. Quando vivemos desta forma, nossos resultados podem permanecer inalterados por muito tempo, limitando nossa condição de aprimoramento e melhoria. Sair deste tipo de estado mental e físico requer coragem e disposição.

Quando a rotina passa a fazer parte de nossa vida, deixamos de utilizar todas as nossas capacidades e detalhes valiosos podem ser deixados de lado, a desculpa passa a ser uma ferramenta comum, e justificamos nossas escolhas e resultados.

Um caminho para a mudança de atitude e comportamento, começa por fazer uma auto-analise. Em seguida, identificar que hábitos precisam ser corrigidos, deixados de lado ou aprimorados.

Há muitos recursos, eles podem ser classificados em duas vertentes: recursos externos e recursos internos.

Avalie seus recursos:

1. Analise o ambiente em que vive;
2. Identifique qual é o tipo de influência que você recebe;
3. Procure motivos pelos quais você se submete ao ambiente, ainda que o incomode;
4. Verifique que hábitos estão presentes em seu dia a dia;
5. Reflita sobre quais são as suas crenças;
6. Busque listar três ações que poderiam auxiliá-lo a sair da zona de conforto;
7. Priorize por ordem de importância;
8. Planeje quando irá aplicá-las.

Ao analisar seu desafio, tenha em mente que existem aspectos que não podem ser deixados de lado, tais como: o momento ( atual, futuro e passado ), seus valores versus os valores de sua organização, sua expectativa, sua capacidade de execução e o comportamento das pessoas a sua volta.

Alguns hábitos estão enraizados em nosso âmago de tal maneira, que torna muito difícil nossa percepção de já estarmos vivendo no automático. Alguém certa vez disse: “Desenvolver maus hábitos é fácil, perder maus hábitos é difícil”. Não há salário sem labuta. Precisamos estar dispostos a pagar o preço. Procure o feedback das pessoas do seu convívio e esteja pronto para ouvir. Procure ouvir de forma isenta e reflita sobre o que for dito, deixe a racionalização e as desculpas de lado. Pratique a humildade. Ouvi dizer certa vez, que humildade é ser ensinável.

Escreveu Denis Waitley: “Os vencedores na vida pensam sempre em termos de, Eu posso, Eu faço e Eu sou. Os perdedores, ao contrário, concentram seus pensamentos no que deveriam ter feito, poderiam ter feito ou no que não conseguem fazer”.

Certamente nossas experiências e o meio em que estamos, podem influenciar o que somos, mas devemos nos lembrar que somente nós somos os responsáveis por aquilo em que nos tornamos.

Sair da zona de conforto pode exigir algum sacrifício, você está disposto? Em que momento você se encontra? Existe algo que pode ou precisa ser mudado? O que você irá fazer a respeito?

Boa reflexão!

ERROS

Erros!!!

Cheguei a momentos de querer sumir, ou melhor, apagar palavras que disse, atos que cometi.

Impossível!!! Eu sei!!!

Então percebi que sou humano, não sou perfeito e nunca serei.

Erros cometemos, muitos, infelizmente, mas com os erros aprendemos também.

E aprendi

Aprendi que não se repete os erros cometidos, pois se tornaria burrice.

Aprendi que a melhor maneira de se redimir de um erro é assumindo-o.

Aprendi como é amargo o gosto da culpa de ter errado.

Aprendi que ás vezes só o tempo é capaz de curar as feridas deixadas pelos nossos erros.

E aprendi a nunca desistir, errando acertando, mas sempre na tentativa de ser feliz, sempre buscando a felicidade.

Pois meus erros são reflexos das minhas tentativas sem sucesso de tentar ser feliz, te fazer feliz.

Erros estes que se tornam mínimos, pois me encontro na felicidade de estar ao teu lado e de ter teu carinho, que resume no sorriso que desenha no meu rosto toda vez que te encontro.

PENSE NISSO!

20 dicas para o sucesso

 1 – Elogie 3 pessoas por dia.

2 – Tenha um aperto de mão firme.

3 – Olhe as pessoas nos olhos.

4 – Gaste menos do que ganha.

5 – Saíba perdoar a si e aos outros.

6 – Trate os outros como gostaria de ser tratado.

7 – Faça novos amigos. conserve os antigos

8 – Saíba guardar segredos.

9 – Não adie uma alegria.

10 – Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados.

11 – Sorria.

12 – Aceite uma mão estendida.

13 – Pague suas contas em dia.

14 – Não reze para pedir coisas. Reze para agradecer e pedir sabedoria e coragem.

15 – Dê às pessoas uma segunda chance.

16 – Não tome nenhuma decisão quando estiver cansado ou nervoso.

17 – Respeite todas as coisas vivas, especialmente as indefesas.

18 – Dê o melhor de si no seu trabalho. Tenha prazer em fazer bem feito.

19 – Seja humilde, principalmente nas vitórias.

20 – Jamais prive uma pessoa de esperança. Pode ser que ela só tenha isso.

Um grande abraço.